Confissão

Perdoa-me porque pequei

Te compro um bombom
Sempre
E como sempre
Antes de dá-lo a você
Como assim
Como sempre

Mas te dou este poema
Não como consolação
E sim para sempre saber da presença
Da ausência de seus bombons
Dos quais você nunca provará
Nem comerá tampouco saberá
Quando os comprei

Bom
Só saiba disso
Compro-os pensando em te dá-los
Embora os devore antes mesmo de me sentir
Culpado confesso

Amo chocolate na mesma proporção que amo você

Bobo poema este

Advertisements