Escritos de Afeto

pois afetar e ser afetado é o que nos resta

Month: September, 2014

Terminal

hieronymous-bosch-01

Tanto de tudo
Muita gente
Pouca gentileza
Seguimos máquina
Ciborgues naturais
Embora vivos sempre
Cadáver toda hora
Horror ao vazio
Eu tenho
O horror o horror
Somos todos os mesmos
Apagados
Me toma todo
Me torna nada
Menos
Na metamorfose dele
Recuso a fraqueza do câncer

Quero a força
Do que quer que seja

Advertisements

IN TO

bosh

Num ônibus
Passando pela construção
De arquitetura estranha
Me pergunto onde estou
Estiram-se linhas
– Rio de Janeiro? –
E memórias arrebentam
– São Paulo? –

Posso dizer que tive amnésia
Por apenas cinco segundos





Desesperador.

Ao Estranho

magritte-mirrorNão te ofereço palavras

Há dois anos
Não nos falamos
E mais que o dobro
Que nos conhecemos
Entretanto
Age como fosse nada
Olhos calados boca fechada
Que que houve?
“Somos estranhamente semelhantes”

Nunca nada será o mesmo
Nunca antes o fora
Mudamos
Este é o problema