Cri-me

by Matheus Trunkle

Francisco-de-Goya-The-Tribunal-of-the-Inquisition

Houve tempos
Em que acreditava
Em poesias

Do mais raso abismo
Retirava palavras
Inertes amargas
Gozando-as

A crise foi se render
Ao crime da crença
Absoluta
E me abismar com o vácuo
Dissoluto

Criado: sem ar nem mar longe tanto de qualquer arma para defesa pessoal com medo profundo das vozes dos corais mortos cinzas ocos coxos como minha vontade de álibi que me arrasta fleumático pela bílis negra da compreensão cega porém sábia da escuridão que cresce em mim indelével leve sorrateira criatura viscosa que nunca me largará não importa com quem ou onde quer que eu esteja

O que faço quando
Desconfio do que escrevo?

Agrafia dos séculos,
Sou culpado.

Advertisements