Betania

by Matheus Trunkle

6tag_050816-080910

Somos filhos da madrugada

Entre-lugar
Momento de transição
Nem dia tampouco noite
Apenas o silêncio do negrume
Do mundo

Negrume que se entranhou
Em seus olhos
Pérolas negras atlânticas
Profundidade de oceanos seculares
Embora venhamos das águas
Há o fogo-signo que nos retroalimenta
Os amores e as vontades
De sermos senhores de nós mesmos
Absolutos indissolutos
Inteiros nós e inteiramente todos os outros
Que bem sabem da nossa performance de ser

Embora venhamos do fogo
Forjaram-nos da água turva cheia
De sargaço
Lua cheia de ressaca bravia
Valentes não somos nós
Mas sim aqueles que se atrevem
A nadar no vasto oceano
Que construímos dentro
E fora da força
Que nos mantém de peito aberto

Para o sal marinho
Que brota de nossas mãos
Para as cinzas do incêndio
Que se inicia dos nossos pés

Energia motriz que ilumina
Com um sorriso

Advertisements